Muito nublado

Quarta | 20 Junho

22C

27

21

A não perder < voltar

III edição do Festival do Café realiza-se entre os dias 1 e 3 de abril

“Fogo Coffee Fest” acontece na cidade de Igreja

22/03/2016 | Fonte: www.sapo.cv | c/Inforpress

A terceira edição do Festival do Café do Fogo, denominado de “Fogo Coffee Fest”, inicialmente agendada para 25 a 27 de março, foi adiada para 01 a 03 de abril, por a sua realização coincidir com a Semana Santa.

A data da realização do festival foi institucionalizada no ano passado, para 27 de março, mas a edilidade dos Mosteiros deliberou, numa das suas reuniões, adiar, este ano, a data da realização desse evento que pretende, à semelhança das duas ultimas edições anteriores, promover e internacionalizar o café da ilha do Fogo.

A internacionalização do café, a estimulação dos proprietários para ampliação da área de cultivo e a produção, o fomento do turismo e da economia local são os objetivos que a edilidade dos Mosteiros pretende atingir com a realização do Festival do Café, uma das principais potencialidades económicas do município.

O festival coincide com o período de colheita do café nas zonas altas do município dos Mosteiros e constitui um dos produtos de referência deste município e da ilha do Fogo de uma forma geral.

A primeira edição do “Fogo Coffee Fest” aconteceu entre 24 e 25 de abril de 2014 e a segunda entre 27 e 29 de março, em homenageou às mulheres do município.

Para o festival deste ano, a edilidade espera ter amostras de café de outras paragens, nomeadamente de Três Corações (Brasil), Angola e Timor-Leste.

Paralelamente a esta atividade, os Mosteiros acolherá, na mesma altura, a realização do “Grito Rock Mosteiros”, um festival colaborativo que conta com parcerias de grupos, bandas e instituições da ilha, da Cidade da Praia e do Brasil.

Em relação ao café, cuja colheita acontece entre finais de março e princípio de abril, a previsão é péssima e para alguns proprietários ela pode ser considerada de nula.

Artur Barbosa, um dos proprietários, disse à Inforpress que a produção é fraca ou nula em alguns sítios, mas para técnicos da empresa “Fogo Coffee Spirit” a redução na produção poderá rondar os 40 por cento (%) em relação ao ano de 2015, que foi classificada de razoável.

Sidónio Monteiro e Roserio Rodrigues, também proprietários, consideram que a produção deste ano é praticamente nula em quase toda a extensão da zona de cultivo do café.

A “Fogo Coffee Spirit”, que no ano de 2015 adquiriu perto de 93 toneladas de café (cerejas) cerca de 20 toneladas de café comercial, prevê uma diminuição na produção na ordem dos 40%, mas a aquisição poderá situa-se entre os 25 a 30%, já que a empresa espera comprar o produto em outros proprietários, além dos fornecedores dos anos anteriores.

Apesar de a produção ser considerada de nula pelos proprietários, esta empresa prevê adquirir este ano entre 60 a 65 toneladas de café (cerejas).

A ocorrência de fortes chuvas, acompanhadas de ventos no período em que as plantas de cafeeiros estavam na fase de floração e consequente aborto é tido como a causa principal para a fraca produção, sobretudo nas zonas mais expostas ao vento.

Comentários