Céu limpo com poucas nuvens

Quarta | 22 Novembro

29C

29

23

A não perder < voltar

Morte lenta de monumentos históricos deixa santantonenses apreensivos

Cidadãos clamam pela sua “urgente recuperação” do património.

15/07/2017 | Fonte: www.sapo.cv | SAPO c/ Inforpress

A morte lenta de alguns monumentos históricos em Santo Antão, de entre eles a ponte de canal, o farol de “boi”, o antigo quartel militar e a casa do químico Duarte Silva, está a deixar apreensivos os santantonenses.

A ponte de canal, umas das obras históricas mais emblemática de Santo Antão, é uma infraestrutura hidráulica, construída em 1956, que, nesses 61 anos de vida, nunca terá recebido uma única manutenção.

Através dessa ponte, que apresenta um estado de deterioração avançado, é transportada a água de rega captada em Ribeira de Caibros e de Boca de Ambas-as-Ribeiras para Ladeira das Canas e Boca de Coruja.

O farol Fontes Pereira de Melo (farol de boi), construído em 1886, na localidade de Janela, no Paul, considerado património nacional, está, também, em situação de abandono e em estado avançado de degradação, facto que tem, igualmente, preocupados os santantonenses e a própria edilidade paulense.

O antigo quartel militar do Porto Novo, construído em 1932, é um outro património que está a cair aos pedaços, em Santo Antão. Um outro património histórico da “ilha das montanhas”, também, em estado muito avançado de ruína e a casa do químico Duarte Silva, na cidade da Ribeira Grande.

Santantonenses de vários quadrantes, os autarcas e os próprios deputados nacionais eleitos por Santo Antão têm mostrado a sua preocupação face ao estado destes monumentos e clamam pela sua “urgente recuperação”. Entretanto, em relação ao farol Fontes Pereira de Melo, o Ministério da Cultura e Indústrias Criativas já assegurou que este monumento está entre os patrimónios históricos nacionais que vão ser recuperados pelo Governo.

Segundo este ministério, o Governo está a trabalhar no sentido de recuperar o foral Fontes Pereira de Meio e a Ponte de Canal, mas também a casa do químico Duarte Silva. “Estamos preocupados com estado desses patrimónios.

As gerações vindouras só terão acesso a esses patrimónios se houver a sua recuperação e preservação”, considerou, recentemente, António Aleixo, edil do Paul.

A edilidade paulense tem estado, também, a desenvolver parcerias com vista à recuperação do farol e sua transformação num museu etnográfico.

A Agência Marítima e Portuária (AMP) tem planos também para recuperar o farol Fontes Pereira de Melo no âmbito de um projeto de recuperação de todos os faróis em Cabo Verde.

O ex-quartel militar, desativado nos anos 80, foi transferido, em junho, pelo Governo à Câmara Municipal do Porto Novo, que já prometeu recuperar o muro e as guaritas e transformar esse espaço numa aldeia administrativa, para sediar alguns serviços desconcentrados do Estado.

Comentários