Céu limpo com poucas nuvens

Sábado | 15 Dezembro

28C

30

20

Curiosidades < voltar

Navio refaz viagem de navegador António da Noli a Cabo Verde

Missão é efetuada por dois jovens oriundos da Itália.

27/01/2016 | Fonte: www.sapo.cv | SAPO c/ Inforpress

Um navio de expedição, que tem como missão refazer a viagem do navegador genovês António da Noli a Cabo Verde, deverá atracar quarta-feira, no Porto Grande, em São Vicente, após ter estado ancorado em Canárias.

A missão, efetuada por dois jovens oriundos da Itália, realiza-se no navio “Salina” de menos de 10 metros, construído em madeira, e, segundo informações da Embaixada de Cabo Verde naquele país, acontece graças ao apoio da Associação Salina Puglia, uma organização ligada à questões do mar.

A expedição, segundo a mesma fonte, tem como objetivo aproximar as novas gerações dos dois países em questões de turismo através do mar, reforçando o valor histórico no relacionamento entre Cabo Verde e Itália, que teve início na época da colonização.

A aventura, que iniciou no porto de Taranto (Itália), percorrera cerca de 8000 milhas com o objetivo de falar dos recursos e estratégias relacionadas com o mar, valorização do ambiente e das atividades produtivas, atravessando parte do mar Jonico, todo o mar Tirreno, os mares Ligure, Baleari e de Alboràn e o Oceano Atlântico.

Esta missão atracará em 18 portos da costa Tirrenica e Ligure, onde se encontrará com as instituições, associações, representantes do mundo da cultura e das pessoas que querem compartilhar a viagem.

Em cada cidade onde Salina atracar, ao longo do seu percurso, realizará conferências e debates diretamente com os alunos, tendo como objetivo não só contar as maravilhas de uma navegação de género, mas também para demonstrar como se pode auto-ajudar explorando um recurso infinito como a do mar, partilhando experiências pessoais relacionadas com o trabalho no mundo do turismo.

A expedição vai durar oito meses, sendo que a viagem a Cabo Verde terá uma duração de dois meses para que os participantes na missão possam documentar as ilhas, valorizando tudo o que de positivo as 10 ilhas do arquipélago podem brindar ao turismo.

A iniciativa despertou um forte interesse da comunidade cabo-verdiana em Itália, tendo total colaboração da OMCVI (Associação das mulheres imigrantes em Roma).

Reza a história que o descobrimento do arquipélago de Cabo Verde é creditado entre os anos de 1460 e 1462 aos navegantes Diogo Gomes e o genovês Antonio Noli. Em 1462, a Coroa portuguesa nomeou Noli capitão-mor da ilha de Santiago, dando assim a Noli o direito de descobridor oficial das ilhas.

 

Comentários