Céu limpo com poucas nuvens

Terça | 12 Dezembro

26C

27

20

Notícias < voltar

"Fogo Coffee Fest" decorre entre 07 e 09 de abril nos Mosteiros

A IV edição do festival vai homenagear Félix Andrade

28/03/2017 | Fonte: www.sapo.cv ! SAPO c/ Inforpress

A quarta edição do festival do Café do Fogo, denominado de “Fogo Coffee Fest”, decorrerá entre 07 a 09 de abril, na cidade de Igreja (Mosteiros), homenageando Feliz Andrade, que há cerca de oito anos produziu um documentário sobre café.

O festival, que já vai na sua quarta edição, tem por objetivo promover e internacionalizar o café da ilha do Fogo, ultrapassando as fronteiras nacionais, como tem feito o café dos Mosteiros, mas também homenagear todos os que deram e dão o seu contributo para o crescimento e afirmação de cafeicultura nos Mosteiros.

Domingos Vaz, vereador da Cultura, disse à Inforpress que a edilidade deliberou homenagear este ano Félix Andrade, um jovem natural dos Mosteiros que residia em Luxemburgo, devido a sua contribuição na divulgação deste produto, sendo que no segundo dia do festival será exibido o documentário produzido por aquele jovem, falecido há dois anos.

Para o primeiro dia do festival, além de abertura, está programada a realização de feiras de livro e de produtos agro-industriais, exposição de espólio do sector do café, atividades culturais com grupos locais, nacionais e internacional como Raiz di Polon (Santiago) e Coldness (Brasil).

Para o segundo dia, está prevista uma deslocação ao Morgadio de Monte Queimado, a maior propriedade unificada de produção do café na ilha do Fogo, para se inteirar da casa do café e conhecer os meandros da sua produção, concurso “melhor monzada de café”, assim como atividades culturais e recreativas.

Para o terceiro e ultimo dia, o programa prevê a realização de uma alvorada, seguido de café de manhã, sendo que o período da tarde é reservado às crianças, antes do encerramento da quarta edição do “Fogo Coffee Fest”.

O festival coincide com o período de colheita do café (fim) nas zonas altas do município dos Mosteiros, iniciado em finais de fevereiro e princípio de março, sendo que a produção é ligeiramente superior à safra dos dois últimos anos.

O café é cultivado, principalmente, na área montanhosa e fértil dos Mosteiros, envolto por diversos microclimas e sem presença de produtos químicos (produção orgânica), sobretudo do Morgadio de Monte Queimado, a maior propriedade unificada de produção do café na ilha, premiada, por duas vezes, com a Medalha de Ouro da Exposição Colonial no Porto, em 1934 e Lisboa em 1949, como “o melhor café do império”.

Igualmente, no início do século XX, o café do Fogo foi apresentado na Exposição Universal de Paris, juntamente com a água da nascente de Aguadinha, tendo sido classificado como o melhor café do Império Português, superando em qualidade os cafés de Angola, São Tomé e Príncipe e Timor.

Em 1917 e 1918, o café do Fogo conquistou os primeiros prémios numa exposição agrícola realizada na cidade da Praia, além de ter tido uma participação na grande exposição da Índia Portuguesa, em 1954.

Comentários