Céu limpo com poucas nuvens

Sábado | 7 Dezembro

28C

30

20

Notícias < voltar

Queijo do Planalto Norte é destaque da revista de bordo da Binter Cabo Verde

Artigo lassifica o produto de “símbolo de resistência” de uma comunidade fustigada pela seca.

21/11/2019 | Fonte: www.sapo.cv SAPO/Inforpress

O queijo do Planalto Norte do Porto Novo, património mundial do gosto, há 12 anos, é destaque da revista NT da Binter Cabo Verde, que classifica o produto de “símbolo de resistência” de uma comunidade fustigada pela seca.

 

“Este queijo é um símbolo da resistência, coragem, amor à terra e esperança de uma comunidade tão sofrida”, lê-se na revista, que admite que “não se fará um queijo igual” no mundo “pois, o clima, o pasto e as próprias cabras são animais que resistem e que se adaptaram àquela adversidade”.

 

O queijo de leite de cabra cru, que se faz, artesanalmente, no Planalto Norte do Porto Novo recebeu, em 2007, a chancela de património mundial do gosto, através da fundação Slow Food, com sede em Itália, tendo sido, também, em 2017, galardoado, pela mesma instituição internacional, com a medalha “Slow Cheese Award”.

 

Depois do reconhecimento deste queijo a nível internacional, graças à sua     participação, nos últimos anos, na feira mundial do gosto, em Itália, os produtores definem agora como desafios melhorar “ainda mais” a qualidade do produto e apostar na sua certificação.

 

António Lima, um destacado produtor do queijo fresco e curado nesse planalto, explicou que este produto, pela sua “grande qualidade”, está entre “os melhores do mundo”, mas os produtores têm a responsabilidade de continuar a melhorá-lo, “com foco na sua certificação”.

 

Este produtor, considerado já “o embaixador do queijo” dos “resistentes” do Planalto Norte, considera que se está “perante um grande produto”, que “já viajou pelo mundo, através da Fundação Slow Food, facto que, a seu ver, dá aos criadores de gado “grande satisfação, mas traz, também, grande responsabilidade”.

 

A exportação deste queijo, uma vez que há já empresas estrangeiras interessadas no produto, constitui outro desafio, mas, “isso dependerá, também, da sua certificação”, entende este produtor.

Comentários