Céu limpo com poucas nuvens

Domingo | 16 Dezembro

28C

30

20

Notícias < voltar

SA: Operadores turísticos defendem promoção do Planalto Leste para intensificar ecoturismo na região

A preocupação foi levantada durante um workshop sobre o turismo.

19/11/2018 | Fonte: WWW.SAPO.CV SAPO c/ Inforpress

Os operadores turísticos no Planalto Leste de Santo Antão defendem uma maior aposta na promoção desta região com vista a intensificar o ecoturismo local, uma preocupação levantada durante um workshop sobre o turismo, promovido pelo projeto Raízes.

Uma parte importante dos turistas que chegam a Santo Antão passa por Planalto Leste, mas, segundo os operadores, que têm vindo a apostar na construção de unidades turistas nessa localidade, “ainda há a necessidade de uma maior divulgação” dessa região, situada acima dos mil metros de altitude, na confluência dos três municípios desta ilha.

Mesmo assim, esse planalto, onde se situa uma das maiores reservas florestais do país, com 1.600 hectares de extensão, tem sido, “nos últimos anos”, alvo de “uma intensa atividade ecoturística”, segundo a direção do perímetro florestal.

Além disso, os operadores defendem ainda o reforço das condições de segurança aos visitantes que têm procurado o Planalto Leste “para desfrutar das belezas naturais” da ilha de Santo Antão.

Para atender à inquietação dos operadores, a Câmara Municipal do Porto Novo iniciou já a construção de dois miradouros no Planalto Leste (Cova e Pico da Cruz), infraestruturas que, segundo a edilidade portonovense, visam, precisamente, garantir segurança aos turistas e potenciar o turismo de natureza em Santo Antão.

Também, no quadro do projeto Raízes (Redes locais para o turismo sustentável e inclusivo), estão a ser produzidos vídeos promocionais temáticos sobre o turismo em Santo Antão, abordando aspetos como costumes e paisagens da ilha.

Conforme a direção deste projeto, cofinanciado pela União Europeia, em 55 mil contos, em execução desde setembro 2017, o turismo em Santo Antão tem alcançado “uma maior dinâmica, nos últimos tempos”, pelo que há necessidade de se desenvolver ações que contribuam para “o fomento deste setor, uma importante alavanca da economia” da ilha.

JM/ZS

Comentários