Céu limpo com poucas nuvens

Terça | 16 Outubro

31C

31

24

Notícias < voltar

Tabanka da ASA sai à rua com mais de 300 figurantes para recuperar santo roubado

Santo foi 'roubado' no mês de junho no Santuário da Tabanka.

22/07/2018 | Fonte: www.sapo.cv | SAPO c/ Inforpress

foto@Inforpress | Tabanka de ASA

A Tabanka de Achada Santo António (ASA), que tem como patrono o Santo António, saiu ontem, dia 21, à tarde num desfile multicolor com mais de 300 figurantes para recuperar o santo roubado no mês de Junho no Santuário da Tabanka.

Em declarações à Inforpress, o responsável para que o ritual da Tabanka da ASA cumpra com os seus desígnios, Gracindo Tavares, disse que o dia hoje é de desfile onde todos os membros e cativos devem participar para dar “maior brilho ao cortejo”.

“Para este evento contamos com figuras tradicionais como o Rei e a Rainha da Corte, o Rei do Campo, a Rainha do Agasalho, o padre, os cativos, os forros, o médico, os ladrões, soldados, o policia, o juiz, o doido e as damas da Rainha, entre outras figuras”, precisou, que foram adaptando-se nos tempos modernos como a baiana e as bailarinas, entre outras.

Além das figuras, no cortejo que marca a tabanka participam também os tocadores de tambor, e de corneta, as cantadeiras, que animam o desfile, e os búzios.

No evento em que se procura reproduzir a sociedade envolvente em forma de paródia, que é um modo de a criticar e satirizar, também participaram este ano no desfile, segundo Gracindo Tavares, a Tabanka de Tarrafal de Santiago.

O cortejo deste sábado, sublinhou, vai percorrer às ruas de Achada Santo António, seguir para o Platô, Avenida Cidade Lisboa, Terra Branca e Tira-Chapéu, e culmina com festejos no bairro de Brasil (ASA) na casa da pessoa que comprou o Santo, até bem noite.

O Santo, explicou o responsável da Tabanka da ASA, só será recolocado no santuário, de onde nunca deveria sair, no domingo de manhã.

Para o Alberto Borges, responsável da Tabanka de Tchom Bom (Tarrafal), que tem como patrono a Santa Terezinha, é muito importante que haja um convívio entre as Tabankas do país para que a manifestação cultural não caia no desconhecimento.

“Viemos cerca de 30 pessoas para divertir num espírito de solidariedade conjugando o nosso ritmo e vestuário com o dos nossos amigos da Achada Santo António”, disse Alberto Borges.

Por sua vez, o ministro da Cultura, que se encontrava no desfile acompanhando os cativos do cortejo, considerou tratar-se de um acto cultural muito antigo que “merece ser activada”.

“Nós temos estado a fazer um trabalho de recuperação, pois representa a impressão digital de cada região e localidade”, frisou o ministro, realçando que na Achada Santo António, que é uma zona urbana, mantém-se uma “forte tradição” de algo que muita gente pensa que é rural, mas que é “fortemente urbano”, visto que acompanha a cidade desde o seu inicio.

O Ministério da Cultura, sublinhou, patrocinou este ano os 15 grupos de Tabanka a nível de Santiago e Maio com o montante de 200 mil escudos.

“Este apoio é visível na recuperação de algumas indumentárias e na recreação de outras”, frisou.

Para o próximo ano, o ministro da Cultura promete continuar a apoiar e a recuperar as capelas de Tabanka existentes no país.

A Tabanka da ASA inicia a época das festividades todos anos nos primeiros dias do mês de Junho com uma série de actividades culturais que abarca a venda do Santo, no dia 13, o dia em que se assinala o Santo Padroeiro, e culmina com a recuperação do Santo no fim do mês de Julho.

Comentários